domingo, 8 de março de 2015

Uma velha mulher.

Parada frente ao espelho a velha senhora se contempla.
Não consegue ver a figura alquebrada, envelhecida e carregada de rugas, vê somente aquela que ainda habita dentro de si. Uma linda jovem carregada de alegrias e esperanças. O frescor da juventude irradia por todos os poros de seu corpo.
Alisa com cuidado seus cabelos brancos, mas, acreditando que ainda sejam castanhos. Abre o pó-compacto e vagarosamente o aplica por toda face.
Olha novamente para a figura refletida, e percebe que se esqueceu de colorir os lábios. Abre novamente a gavetinha da penteadeira e escolhe demoradamente o batom que mais a atrai.
O ritual diário terminado observa novamente a sua figura e aprova o resultado.
Vai até a sala, pega um livro e se dirige para a área na frente de sua casa. Senta-se em uma cadeira estrategicamente colocada, para que possa apreciar o movimento dos carros e dos pedestres.
Vez por outra uma pessoa amiga para frente ao portão para um dedo de prosa.
A velha senhora se sente muito feliz, pois já cumpriu sua missão, casou-se, formou uma família, criou seus filhos e ajudou a criar os netos.
Agora só lhe resta amar a si mesma e desfrutar das atenções de amigos que passam ou algumas vezes a visitam. Mesmo sendo esquecida por muito tempo por sua família, ela traz a alegria dentro de si, pois consegue sentir-se como se ainda fosse aquela linda adolescente cheia de vida, sonhos e esperanças no futuro. Ela se ama não importando para o que os outros pensem dela.
Isto é saber viver. Isto é ser mulher.


Maria (Nilza) de Campos Lepre – 08/03/2015

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Chegou Dezembro

Quando criança ao entrarmos em Dezembro, ficava contando os dias a espera do Natal.
Em minha cabecinha este mês era mágico. Tudo se enchia de luz, cores vibrantes, e as pessoas entoavam hinos em louvor à chegada do menino Jesus e do Papai Noel. Encantava-me a figura do velhinho carregado de presentes sentado em sua carruagem puxada por renas que voavam.
Em nossa casa não era costume armarmos a arvore de natal. Tínhamos sempre um lindo presépio que a cada ano ficava maior, pois, sempre eram agregadas novas figuras.
Cresci e levei para meus filhos os mesmos valores que tinha quando criança. Só que junto ao presépio eu armava também uma linda árvore de natal. Eles adoravam ajudar no enfeite da mesma, depois de pronta ficavam horas admirando a beleza dela e do presépio que eram iluminados por muitas luzes que piscavam.
Na ceia de natal minha casa se transformava num imenso salão de festas. Toda família se reunia aqui. Avos, pais, tios sobrinhos e amigos que não tinham a família por perto. A festa só terminava ao raiar do dia. Sentia-me tão feliz que não me incomodava em nada ter que colocar tudo em ordem para que no dia seguinte todos voltassem para um churrasco em volta da piscina.
O tempo passou. A maior parte da família já partiu para outras paragens, inclusive meu companheiro de uma vida também se foi.
Meus filhos cresceram, formaram suas famílias, me deram netos que atualmente também seguem a sua própria vida sem se importarem com os festejos natalinos.
Atualmente meu Dezembro não é carregado de sonhos e esperanças. Em minha casa já não tenho nem árvore e nem presépio, não há mais o riso das crianças, nem as musicas que eu costumava cantar para alegrá-los. As luzes se apagaram, e não tenho mais vontade de acendê-las novamente.
Agora me contento em ficar observando a alegria das outras pessoas. Amo ver o brilho das crianças quando recebem um presente a muito sonhado.
Indiretamente costumo ser aquela pessoa que se transforma nesta época do ano em papai Noel invisível.
Feliz Natal a todos.


Maria (Nilza) de Campos Lepre – 1/12/2014

domingo, 7 de dezembro de 2014

A minha noite de autógrafos foi um sucesso.
Agradeço ao Coral “Lysanias de Oliveira Campos” regido pela maestrina Erlenne Dokkedal, que gentilmente se apresentou em minha homenagem.
Presto minha homenagem ao Secretário Renato Talel Haddad que sempre esteve pronto a colaborar em todos os lançamentos de livros que fiz até hoje. Sempre muito simpático e prestativo.

Vou postar as fotos, algumas estão sem foco, mas serve para guardar momentos lindos vividos por mim.
Obrigado a todos. Bjim.